Fale conoscoPágina Principal


Alterar tamanho do Texto     
  16/03/2018 | Prefeitura concede apenas 1,81% de reajuste salarial e frusta servidores
 
 
 Ampliar Clique para ampliar a foto
 O SISMMAR realizou, no início da noite desta quarta (14), na Câmara Municipal, a 4ª Assembleia Geral da Campanha Salarial 2018. E o resultado, infelizmente, não foi bom para o servidor(a) municipal.

A assembleia foi precedida por várias mesas de negociação, inclusive na manhã desta quarta. Dirigentes do sindicato e membros da comissão de servidores(as) não mediram esforços para tentar melhorar a proposta da administração, diante de uma realidade de grande perda de poder de consumo das famílias.

Muitos itens essenciais tiveram reajustes acima de 10%. Contudo o prefeito Ulisses Maia (PDT) não cedeu à necessidade dos servidores, permanecendo irredutível em sua proposta de conceder apenas a inflação pelo INPC, que fechou em míseros 1,81%.

O sindicato chegou a apelar pelo bom senso do prefeito, que sempre adotou o discurso de valorização dos trabalhadores da Prefeitura. Comentou–se, nas mesas de negociação, a possibilidade de conceder ao menos a inflação de 2,84% pelo IPCA, que é o índice amplamente usado para calcular a inflação dos alimentos, mas a administração não cedeu.

No vale–alimentação, Ulisses também permaneceu irredutível na proposta feita na 3ª Assembleia da Campanha Salarial, no último sábado (10), oferecendo R$ 312,50, com contrapartida de 20%. Em assembleia, os trabalhadores haviam pedido a redução da contrapartida para 1%, já que o vale não impacta na folha de pagamento, não comprometendo a administração no tocante ao limite prudencial de gastos com salários.

Mesmo com o superavit orçamentário de R$ 80 milhões alardeado pela administração, nem no vale foi possível avançar frente à proposta da assembleia anterior. Único ganho real, nesse sentido, foi a concessão do vale–alimentação no período de férias.

Para aprovar essa proposta considerada ruim pelo SISMMAR, Ulisses conseguiu lotar a assembleia com seus apoiadores, em sua maioria servidores(as) que fazem parte da gestão em funções gratificadas. “O mesmo pessoal que vinha comparecendo a todas as assembleias votou contra a proposta da administração, mas eles (administração) levaram muita gente para votar a proposta deles”, comenta Iraídes Baptistoni, presidenta do SISMMAR.

Diante de tantas promessas de valorização feitas pela atual administração à categoria, o clima foi de grande frustração. Muitos trabalhadores contestaram a posição de Ulisses, outros chegaram a falar em protestos, assim como já tinha ocorrido na assembleia de sábado (10). Ao contrário do que dava a entender na campanha eleitoral, pelo segundo ano seguido, Ulisses concede apenas a inflação aos servidores(as), ou seja, apenas o índice que ele é obrigado a conceder por lei.
 
Data: 16/03/2018 Fonte:SISMMAR
 
            Compartilhar                 

     

Maringá QUI|21|JUN|2018